05 março 2011

Com capivaras e índios bonitos da Amazônia tem-se que tomar cuidado, crianças índias feias e maltrapilhas pode se passar por cima!

Pai Guarani segurando com orgulho o filho dos donos da terra.

Ficava muito impressionado com a questão indígena no Brasil, principalmente por desconhecê-la por completo. Quando viajava pelas estradas do sul do Brasil, via acampamentos de Kaigangs, Guaranis e outros povos, vivendo como miseráveis, muitas vezes pior do que assentamentos do MST. Periodicamente lia notícias de mortalidade infantil, alto grau de suicídios nestas comunidades. Vendo e lendo isto tudo ficava altamente revoltado quando via movimentos de resistência contra a criação de novas TI (terras indígenas) no Brasil. Vinha achando que algo não estava muito bem, que algo não fechava. Agora depois que tive contato com um site denominado Socioambiental (http://socioambiental.org/) comecei a olhar site e outras informações de órgãos públicos e comecei a notar o que estava errado.

Mata esta e é crime ambiental!

No Brasil temos dois tipos de índios, os nossos bravos Guaranis, Kaigangs, Terenas, Potiguaras, Chavantes e outras tribos que conhecemos dos livros escolares que são aproximadamente 40% (ou mais) de todos os índios Brasileiros, depois nós temos mais uma centenas de tribos na Amazônia, que tirado três grandes povos (os Taurepang, os Guajajara e os Yanomami) não atingem 30% de todos os índios que vivem no Brasil.


Bem qual o problema disto?  Simples estes índios, tão em contato com o homem banco como os outros, mais especificamente com missões religiosas e ONGs de todo o tipo, são os maiores latifundiários de todo o país.

[ed86_colonial08.jpg]
Aldeia Indígena do Século XVI

Enquanto os Kaigangs, Guaranis e outros , índios em minúsculo, vivem em terras indígenas minúsculas os nossos belos índios da Amazônia, índios em maiúsculo, vivem em verdadeiros latifúndios que daria inveja a qualquer grande capitalista paulista, este tem terras indígenas maiúsculas.

Agora o mais surpreendente de tudo isto, não vejo nenhuma ONG, não vejo as pastorais indígenas, os sites eco-chatos se baterem pelos nossos guaranis, kaigangs ou outros. Não que estes índios não mereçam, eles lutaram contra o homem branco durante cinco séculos e se no Brasil existiam 5 milhões de índios eram dessas tribos que hoje não passam de 200mil que foram roubadas as terras, escravizados seus guerreiros e aculturados através de embustes com santos do pau oco dos padres jesuítas (estátuas de santos que os padres se escondiam atrás para falar com os índios) e outras congregações. Estes índios tradicionais conseguiram com toda a discriminação social conservar sua língua e parte de suas tradições.

Agora qual o problema desses índios, eles não possuem 1000 a 2000 hectares por capita, eles não possuem riquezas e não conseguem se enfeitar com belas penas como os índios da Amazônia, olhando de longe sem falar com os mesmos, confunde-se estes índios com um bóia fria qualquer do nosso campo, jamais, mas jamais mesmo um diretor de cinema premiado com um Oscar, tiraria uma foto com um índio desses ao seu lado, eles são feios, estão sem dentes e mau nutridos, vivem em acampamentos na beira de estradas vendendo por migalhas pequenas esculturas em madeira para tirar o seu sustento. Inclusive na cidade de Porto Alegre, num dos mais cults Briques em que desfila todos a “intelligentsia” da cidade, foi concedido bem no cantinho, fora da cobertura das árvores um lugarzinho para estes “índios civilizados” venderem seus artesanatos.



Só para não deixar passar batido, na estrada que interliga Porto Alegre – Punta Del Leste, há dois trechos muito interessantes, um primeiro que passa na reserva ecológica do Taim e um segundo que passa por uma série de acampamentos indígenas na beira das estradas. No trecho da reserva ecológica do Taim, muitas capivaras e outros bichinhos passam pela estrada e no trecho que há os acampamentos indígenas, várias criancinhas indígenas caminham na beira da estrada. Para evitar problemas o que fez o Denit provavelmente obrigado pelo ministério público, diminuiu a velocidade para 60km/h e aumentou a velocidade para 100km/h, pequeno esclarecimento, o trecho que diminuiu a velocidade foi no trecho que se atropela as capivaras, mas nos dos índios feios e maltrapilhos.....


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Favor manter linguagem adequada, críticas são aceitas, porém palavras chulas farão que se delete o comentário.