23 dezembro 2012

Segundo os modelos do IPCC o Aquecimento Global favoreceria o terceiro mundo!


Vazou recentemente o relatório preliminar do Painel Intergovernamental de Mudanças do Clima (IPCC) AR5, este relatório está quase na sua forma definitiva e era para ser publicado em 2013. Alec Rawls um republicano direitista e blogueiro teve a ideia de se inscrever como revisor do texto, coisa que é possível ser feita por qualquer um. Alegando que a maior parte das verbas para o estudo do clima e para a sustentação é pública, que na realidade é uma verdade inconveniente para quem não quer divulgar o relatório sem que este passe por um crivo político, publicou em um site especial o relatório por inteiro (http://stopgreensuicide.com/).

Este vazamento está causando enormes alvoroços em todos que são contra ou a favor das conclusões do IPCC. A temporada de discussão do relatório técnico já começou e diversas discussões estão sendo levantadas na blogosfera.

Entretanto não entrando no mérito que as conclusões do relatório estão ou não erradas, podemos simplesmente aceitá-las e olhar quais são as maléficas previsões que nos espera para o futuro!

Estas conclusões sobre as mudanças climáticas e as previsões para o futuro já discuti com um grupo de geólogos há mais ou menos 7 anos quando ainda os cenários de aquecimento global eram novidades no nosso meio. No momento da discussão sobre o assunto um experiente geólogo, que hoje em dia está aposentado, me fez uma pergunta que dei uma resposta a queima-roupa e acho que acertei.

Ele me perguntou:

Se a Terra vai aquecer poucos graus em média, fazendo que alguns lugares fiquem mais secos e outros mais úmidos, por que todo este alvoroço?

Respondi rapidamente:

Talvez a preocupação maior é que se redistribua a chuva de forma a modificar as condições atuais.

Foi uma mera especulação da minha parte, porém no relatório vazado vi confirmada a minha preocupação. Olhando a figura 1 do sumário de todo relatório (TFE.1, Figure 1 - Climate Change 2013: The Physical Science Basis - Technical Summary) acima colocada em que o item (d) da figura faz um balanço entre a evaporação menos a precipitação fiquei espantando, e espero que as pessoas que estão nos países do terceiro mundo também fiquem.


Balanço entre Evaporação-Precipitação, cores quentes (avermelhadas) significam mais evaporação do que precipitação, solo mais seco, já as cores frias (azuladas) significam mais precipitação do que evaporação, solo mais úmido.
Para que entendam melhor a minha surpresa, vejamos os pontos que serão mais afetados pelo aquecimento global (se ele existir).

Dando um zoom sobre a América, veremos que as catastróficas previsões do IPCC são de diminuição da umidade nos Estados Unidos, México, América Central e parte da Amazônia. Retirando o México do cenário, a quantidade de chuva (chuva – evaporação) causará danos sobre a agricultura norte-americana, pois tanto na América Central como na Amazônia uma diminuição de 0,2mm/dia (aproximadamente 75mm por ano) não fará muita diferença em regiões que chovem 150mm a 300mm por mês!





Por outro lado seguindo para o sul do Brasil, onde estiagens produzem muito mais danos a economia do que períodos de cheias deveremos ter um aumento de 0,4mm por dia (aproximadamente 150mm por ano), que é geralmente a carência hídrica dos períodos de estiagem



Mas como o mundo não se restringe a América vamos ver o que ocorreria se os modelos para o ano 2100 estiverem corretos.


Olhando com detalhe o sul da Europa e Norte da África, há uma previsão de diminuição significativa da umidade na Europa e uma diminuição média de 0,2mm/dia a 0,3mm/dia na Europa (75mm/ano a 125mm/ano) e no Saara (0,1mm/dia), considerando que no Saara já não chove mesmo somente a Europa e parte do Sahel serão prejudicados. Pelas previsões de vê que na parte do Saara próximo ao Egito haverá mais chuva e também em grande parte do Sahel, logo pode-se dizer que para a África, segundo as previsões do IPCC o balanço do aquecimento global é positivo.



Poderíamos reduzir a seguinte conclusão. Nos países desenvolvidos, na região norte do México e numa parte do Sahel, o regime de chuvas médias poderá diminuir, por outro lado, no sul do Brasil, em grande parte do Sahel e até nos desertos da África e na nos desertos da Arábia Saudita haverá mais disponibilidade hídrica, por consequência maior produção de alimentos nestas regiões.

A partir destas conclusões podemos até começar a rezar para que os modelos do IPCC estejam certos, e fica aparente qual a maior preocupação dos países industrializados do norte, a sua agricultura, como vantagem comparativa com os países mais pobres perderá importância, logo:

Que venha o aquecimento global!

NOTA: Pelos modelos aos desertos da Austrália receberão bem mais chuva!








Nenhum comentário:

Postar um comentário

Favor manter linguagem adequada, críticas são aceitas, porém palavras chulas farão que se delete o comentário.